sábado, 20 de março de 2010

Ode pobre ao velho sebo

No corredor escuro e empoeirado
Onde cabem todas as histórias do mundo
A vida vale o número de páginas
Drummond que amava Sabrina que competia com Júlia que grudava em Bianca
Que queria ser Iracema que pegava poeira ao lado da vida do Plínio Marcos
E de uma parede de Jorge Amados
A revolta em Chiuahua, os segredos do espírito-que-anda
Os regionalistas e o Mascarado Traçador amarelado
Cinquenta paus leva tudo
O cheiro de naftalina é cortesia da casa