segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Fim de ano é uma merda



Meu mau humor já começou a dar as caras. Faz tempo pra caralho que não escrevo nada no blog. Não tem dado tempo. Tô num vazio total de idéias. Nos últimos tempos, estive correndo com mil trampos que por si só já desgastam. Aí chega a fatídica época do ano em que algum fariseu safado na Idade Média inventou de comemorar o aniversário de Jesus Cristo. Jesus foi um grande cara, se é que ele existiu mesmo. Tentou salvar a humanidade, tem milhares de seguidores e até inspirou uma música linda do Velvet Underground. Perdeu pra Barrabás e os Beatles em popularidade, mas foram derrotas isoladas, vale lembrar. Enfim, nada contra Jesus e tudo contra a porcaria do Natal e todas as malditas festas de final de ano. Nesse ano, além dos sorrisos, presentes dados por obrigação e convívios forçados, terei que passar, mais uma vez, por uma temporada no inferno: um baile de formatura. Cara, quer me foder a vida é só me convidar pra festa de casamento, baile de formatura e festa de confraternização do trabalho. Recentemente também descobri quão insuportável pode ser o martírio de festas infantis e de festas na escolinha do meu filho. O pior é que a pessoa que vai se formar é importante pra mim e minha presença no tal baile deve ser importante pra ela. Pelo menos até o whisky fazer efeito. Mas baile de formatura é a minha exata visão do inferno: calor, sapato apertado, terno e gravata, muita gente chata e música ruim em altíssimo volume. Sei que vou sobreviver, mas é aquela história do medo da dor que é mais forte que a própria dor. Meu humor vai pras picas. E aí fico lembrando que ainda vem o Natal, com amigo secreto (arrrgh) e tudo e depois o réveillon que também é uma merda. Pessoas estranhas em casa, calor, rango em excesso, rojões que matam meus cachorros de medo. Ainda tô contando com o filho do vizinho voltar pra passar férias com os pais e ficar cantando o dia todo aquelas musiquinhas intoleráveis dos Los Hermanos no violão. E eu só queria ficar a parte.
Pra não dizer que não falei de flores, termino esse ano melhor do que no ano passado. Nessa mesma época, no ano passado, tava mais é querendo tomar cicuta no café da manhã e sumir do mapa. Hoje tô puto com as tais festas, mas pelo menos tenho força pra estar puto. Passei por merdas mentais e físicas durante o ano. Fiz uma cirurgia filha da puta, encarei meus bodes pretos, minha pressão alta, meu colesterolzão. Mas passei de ano. O sorriso do meu filho ajudou pra caralho. Cheguei até a ficar saudável no meio do ano. Emagreci, voltei pro kung fu depois de quatro anos parado, comecei a comer certinho, tomar água e tal...agora já fudeu tudo de novo e meu rim já deve estar preparando novas pedras preciosas pra 2011. Mas sobrevivi e fui lá agradecer meus guias. Sinceramente. Minha mãe me deu uma medalhinha com um São Jorge e eu fiquei feliz. Foi como um prêmio. É o meu santo e gosto dele embora os trouxas infelizes dos curintxanos vivam se apossando da sua imagem. São Jorge é o santo guerreiro, né? Acho bonita sua sina. Mas não sou guerreiro. Na verdade, acho que sou um dos caras mais bunda mole que eu conheço. A cada final de ano eu prometo que nunca mais vou engolir festas de casamento e festas de final de ano. E lá vou eu dobrar a língua e a vontade. Meu final de ano ideal seria com meu filho e minha mulher numa casinha em alguma praia deserta, onde não desse pra ouvir nem os fogos de artifício. Pra mim, o melhor jeito de celebrar uma data é passá-la de maneira agradável. Raras vezes rolou algo assim. Enquanto o velho batuta não vem entalar sua bunda gorda na minha lareira, vou devorando “O Vermelho e o Negro” do Stendhal e queimando uns cdzinhos: Tom Waits, AC/DC, Freddie King. E que venham os tenders, os vale-cds e os caramurus.

10 comentários:

Aline disse...

Indiscutivelmente, a guerreira aqui sou eu!

POBRE MEU BLOG disse...

Boa...rsss...indiscutivelmente.

Anônimo disse...

Nao queria entrar no meio da discussao aí para saber quem é ou nao guerreiro. Afinal é ponto pacífico que o guerreiro sou eu. rsrsrsrsr. Mas o fato é que o papo de guerreiro nao tá com nada, parece coisa de auto-ajuda, Paulo Coelho e tal. Gostei do texto, final de ano é chato mesmo, embora eu sempre tenha gostado da bagunca. Nao tem muito como fugir, meu caro. Estou contente em ler que pelo menos esse ano foi alguns pontos melhor que o outro. Assim seguiremos. Um grande abraco,
Pedro.

Txellu's Boy disse...

Fico feliz por voltar às atividades no bloguinho, estava sentindo falta deste azedume.
A merda está ai, pronta pra ir pro ventilador e ser espalhada uniformemente pelos quatro cantos. Só mesmo tomando uma e queimando um.
Indiscutivelmente guerreiro é o Henrique! Que passa careta por tudo isso.
Beijão pros ceis!

Tânia disse...

É meu caro,
Amigo é pra essas coisas. Em 2010 vc "teve" que vir pro nosso casamento e agora em 2011, será nascimento e depois batizado. Mas mesmo com seu mal humor, é sempre um prazer te-lo ao nosso lado.
Beijos

Sérgio disse...

É...mas seu casamento não teve festa com balada, sertanejão no talo e roupa social...aí é gostoso, né? Beijo.

Aline disse...

Vou contar um segredo: ele fala mal de formatura, mas chegando lá se emociona e até chora! Por isso sou sua mulher, o cara é sensível pra caralho! Essa falação toda é pra manter a fama de mal humorado, a qual ele tem o hábito de polir todas as manhãs.

Turma do 8 disse...

Vou falar alguma coisa só pra aparecer aqui junto com a galera.
Viva o Cid Guerreiro !
Viva o Cid Guerreiro !
Viva o Cid Guerreiro !
Viva o Cid Guerreiro !
Viva o Cid Guerreiro !
Viva o Cid Guerreiro !
Viva o Cid Guerreiro !
Viva o Cid Guerreiro !
Viva o Cid Guerreiro !

Dean Moriarty disse...

Pô Sergião, tá faltando falar que nas formaturas é obrigação tocar Canção da América do Milton Nascimento, o resto é exatamente como você descreveu.Muita alegria pra muito pouca empolgação.Eu também odeio essa época do ano, que é meio hipocrita, pois vc vai analizar o q fez de ruim o ano inteiro e depois se auto-perdoar e continuar com os mesmos erros dos anos passados.
Sobre música, descobri um cara do qual nunca tinha ouvido falar e desde então estou fascinado com as letras dele.O cara se chama Jackson Browne, é antigão, estilo Bruce Spingsteen, se vc não conhece te indico deveras...Muito bom.

Sérgio disse...

Caro Dean. Já ouvi algumas coisas do Jackson Browne e achei legal. Queria conhecer melhor mesmo.Se não me engano, tem uma música dele no "Chelsea Girl", da Nico. O que não é pouca coisa. Abraço.