quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O anjo


Um anjo trincado e traído cruzou meu caminho numa dessas tardes de cidade do interior. Ele disse: “corações legendários não vão livrar sua barra no verão”. Dois tiros e anjo despencou do seu jardim suspenso sob o céu azul, diretamente para as formigas e a areia quente. Ainda guardo uma bala pra meter em alguma placa da estrada ou lâmpada de poste. Porque sou estúpido e místico e ainda quero te foder por amor. Quando acenderem as luzes da cidade e as famílias se enclausurarem temendo a noite, vou tomar o lugar do anjo. Escalar a torre da matriz e detonar os sinos sobre as sacanagens silenciosas de cada dia.

6 comentários:

Tiago disse...

Sublime

Txéllü's disse...

Atividade!
Cuidado!
Perigo!
Radioatividade!

Socorro!

Camila Prada, a Elucubrada. disse...

PQP. Faço minhas as suas: sempre é bom voltar aqui, pq tb sou estúpida e mística.

F. Reoli disse...

Du caralho o texto, meu brother. Pois é Sergião, resolvi juntar umas sucatas e transformar em pequenos textos neste novo blog. Tu é sempre bem-vindo. Grande abraço.

Kleber Felix disse...

Legal pra caralho isso, man. abraço

Fabiano Silmes disse...

Viceralmente Foda!!!
Du caralho esse texto!!!

Abraços, Evoé!!